quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Olhar amendoado - Poema 3 - Concurso APPADCM 2011


O mundo simplifica-se num berlinde
Nas mãos do menino [diferente] é perfeito
Consegue atravessar-lhe o olhar amendoado
E criar na prega da mão um jardim de malmequeres

À noite sem saber compor contas de cabeça
Recolhe as estrelas uma a uma
Espalhando-as silenciosamente a seu lado
Como se escrevesse um poema nas arestas do tempo
Que se esgueira nos ponteiros de um arco-íris
Enquanto um asterismo tece o verbo e o alfabeto

Carlos Val

1 comentário:

luz efemera disse...

As crianças têm o poder de criar jardins onde só há lamaçal...Olham acima da nossa cabeça e veem fadas...anjos...seres de outras dimensões...